TV Digital

Quando o Brasil adotou seu sistema de televisão em cores, em 1972, os riscos daquela aventura eram pequenos, pois os três sistemas disponíveis na época, o americano, o francês e o alemão, haviam atingido aquilo que chamamos "consolidação", isto é, haviam ultrapassado o limite de 50% de alcance em seus respectivos territórios. 

Atualmente, na tv digital, os EUA estão amargando 7%, e a Inglaterra até que vai bem: 25% desde a inauguração, em 1998. Já o termo "alta definição" é cercado de relatividades. 

A TV nasceu eletromecânica, com algumas dezenas de linhas de varredura, principal fator da definição (qualidade) da imagem transmitida. 

Todo salto de qualidade de imagem vem apresentado com o rótulo de "alta definição". 

Durante a sua evolução, a TV eletrônica saltou de 325 linhas (sistemas experimentais) para 425 linhas (Reino Unido) e 441 linhas (Alemanha) . 

Após a Segunda Guerra mundial, os sistemas de TV totalmente eletrônicos se acomodaram em 525 linhas (América) ou 625 linhas (Europa, África, Ásia e Oceania), com algumas exceções. 

O primeiro sistema de televisão em alta definição "Muse", em 1.125 linhas, foi desenvolvido no Japão, pela NEC (Companhia Elétrica Japonesa) e a NHK (Rede de Televisão Estatal), em meados da década de 1980. Esse projeto tinha vários ingredientes para o sucesso. Recebeu apoio dos EUA. 

Mas havia um único inconveniente: era analógico. Essa nova TV acabou em uso restrito no Japão, via satélite. 

As transmissões terrestres continuaram em 525 linhas. 

A "febre digital" inibiu a expansão do padrão "Muse" e matou o padrão "HD-Mac", europeu, ainda em seu nascedouro. 

A revolução digital concebeu os três padrões de TV em alta definição em uso: americano, europeu e japonês. 

Essa mesma revolução deu origem aos sistemas terrestres híbridos (desconhecidos por 99,999% das pessoas) e a IPTV, conhecida apenas pelos usuários de computador em banda larga.

A propósito, após 8 anos do advento da TV digital terrestre nos EUA, a maioria dos telespectadores ainda não sabe o que é isso...

[Observatorio da Imprensa]


FAQ de TV digital  

[por Ethevaldo Siqueira

Segundo pesquisa do jornal O Estado de São Paulo datada de março de 2006, mais de 80% dos brasileiros com escolaridade de segundo grau ou superior não sabe o que é TV digital, e têm muito mais dúvidas do que certezas. Por isso, preparei esta coluna, em linguagem simples, para os iniciantes ou para quem queira testar seu conhecimento.

1. O que é TV digital ?
2. Qual é a diferença entre TV analógica e digital ?
3. Já não existe muita coisa digital na TV brasileira ?
4. Quando começarão as transmissões de TV digital ?
5. Nossos televisores atuais podem captar programas digitais ?
6. Vou ter, então, que jogar fora meu televisor ?
7. Só com essa set top box poderemos captar TV digital ?
8. TV digital é o mesmo queTV de alta definição ?
9. Quais são esses graus de definição ?
10. Posso comprar já um televisor maior, de plasma ou LCD ?
11. Qual é o grande salto da TV digital ?
12. Que outras vantagens teremos com a TV digital ?

1. O que é TV digital ?  

É a transmissão de áudio e vídeo de TV aberta, pela atmosfera, via sinais digitais, para recepção livre e gratuita por todos os que dispõem de receptores. Seu nome, a rigor, deveria ser TV digital terrestre em radiodifusão ou broadcasting. 

2. Qual é a diferença entre TV analógica e digital ?  

Na transmissão analógica, são utilizadas ondas eletromagnéticas contínuas, análogas aos sinais originais. Já na transmissão digital é utilizada uma corrente de bits, em código binário, formado de zeros e uns, ou seja, a mesma linguagem digital dos computadores, dos CDs, dos DVDs e do celular. A tecnologia digital converte tudo em bits som, voz, ruídos, imagens, fotos, gráficos, textos. 

3. Já não existe muita coisa digital na TV brasileira ?  

Quase tudo, menos o sinal que vai da torre de transmissão da emissora à casa do assinante, que ainda é analógico. Todas as etapas anteriores já são digitais como a captação de imagens, a produção, a edição, o acabamento, os equipamentos de estúdio e transmissões de TV por assinatura, a cabo, via satélite ou microondas. 

4. Quando começarão as transmissões de TV digital ?  

Ninguém sabe. Se o governo escolher até julho o padrão a ser adotado, é provável que as emissoras possam começar as transmissoes em março de 2007. 

5. Nossos televisores atuais podem captar programas digitais ?  

Não, porque, sendo analógicos, não decodificam sinais digitais. 

6. Vou ter, então, que jogar fora meu televisor ?  

Não. Ao longo dos próximos 10 anos ou mais, as emissoras vão transmitir tanto os programas analógicos como os programas digitais no mesmo canal. Para captar programas digitais, os televisores convencionais precisarão de uma caixa de conversão (receptor digital ou set top box) que poderá custar menos de R$ 300. 

7. Só com essa set top box poderemos captar TV digital ?  

Não. Haverá, na verdade, duas possibilidades: além de acoplar uma caixa de conversão ao velho televisor, você poderá comprar um novo televisor, especial para TVdigital, que virá com receptor digital e outro analógico. 

8. TV digital é o mesmo queTV de alta definição ?  

Não. Toda TV de alta definição é digital. Mas nem toda TV digital é de alta definição. A diferença está, portanto, no grau de definição. 

9. Quais são esses graus de definição ?  

São quatro: a) baixa definição (low definition ou LDTV), com imagens de 240 pixels por linha, para recepção em celulares, PDAs ou laptops; b) definição-padrão (standard definition ou SDTV), com 480 pixels para televisores de definição normal como os atuais; c) definição melhorada (enhanced definition ou EDTV), com 700 pixels, como dos melhores DVDs; d) alta definição (high definition ou HDTV) , de 1.080 pixels por linha e, portanto, a melhor imagem, com o maior número de pontos ou pixels. 

10. Posso comprar já um televisor maior, de plasma ou LCD ?  

Pode, desde que o aparelho esteja "pronto para a alta definição" (HD ready). Mas, para captar o sinal digital, ele vai precisar de uma caixa de conversão. Enquanto não começam as transmissões digitais, eu uso esse televisor para ver TV aberta, por assinatura ou DVDs, em meu home theater. 

11. Qual é o grande salto da TV digital ?  

É a interatividade, que é assegurada por um canal de retorno (linha telefônica fixa ou celular) e nos permitirá responder a questionários e pesquisas, votar em eleições virtuais, obter informações e serviços públicos (governo eletrônico) e, no futuro, fazer comércio eletrônico e acessar à internet em banda larga.

12. Que outras vantagens teremos com a TV digital ?  

A imagem da TV digital não tem meio termo: ou "pega" ou "não pega". Ou chega perfeita, sem fantasmas nem chuviscos, ou mostra uma tela preta. Podemos gravar qualquer programa, mesmo enquanto vemos outro. O som é estéreo e surround em seis canais, ou 5.1. 

A digitalização possibilita ainda coisas como mobilidade, portabilidade, multiprogramação e flexibilidade.

Traduzindo em miúdos: 
multiprogramação (ou multicasting) é a possibilidade de transmissão de até 4 programas com diferentes níveis de definição num único canal de freqüência (de 6 megahertz) utilizado pela TV digital; 
portabilidade é a recepção em diversos tipos de equipamentos, como PDAs, laptops, celulares; 
mobilidade refere-se à recepção de programas em celulares ou em veículos em movimento, como trens, ônibus ou carros; 
por fim, flexibilidade é a possibilidade de ter o máximo de aplicações e serviços, tanto para as emissoras de TV como para as operadoras de celulares e empresas de multimídia.

 Para saber mais, use os links