Torrent

Prezados amigos,

Também boquiaberto com a audácia da NET/Vírtua, andei procurando na internet algumas possíveis soluções para o problema. Ainda acho que a comunidade P2P será capaz de encontrar uma solução rápida, como fez na "primeira tentativa" de Traffic Shapping.

O que não impede, obviamente, de buscarmos todos os outros meios para tentar barrar a atuação da NET nesse sentido.

O fato é que chamou-me a atenção um post que li num fórum de discussão americano, sobre VPN. Um usuário enfrentava um problema semelhante, na rede da faculdade onde estudava. Os micros particulares (nos dormitórios) acessavam a internet através da rede da faculdade, mas ninguém conseguia velocidades grandes P2P, por conta de Traffic Shapping.

Daí o sujeito bolou uma solução usando HAMACHI + Azureus. Não tive oportunidade de testá-la. Em verdade, não gosto muito do Azureus. Desde que instalei um ATA D-LINK 1402, substitui o Azureus pelo uTorrent porque estava enfrentando travamentos e volta e meia a rede caía.

Mas achei a solução tão promissora que resolvi traduzir o post e transformá-lo num TUTORIAL, que compartilho com vocês.

Aqueles que se interessarem em aperfeiçoar o material, sintam-se à vontade. Se precisarem, envio o arquivo do Word.

Em síntese, a solução passa por criar uma rede "híbrida" de TORRENT, em que o AZUREUS será capaz de receber os arquivos externamente, e distribuí-los internamente numa VPN (Virtual Private Network - rede privada virtual). Isso significa que o HAMACHI poderia ser usado para criar redes de interesse mútuo, segmentadas. Explico: embora o P2P seja usado pra todo-e-qualquer tipo de arquivo, acredito que na maioria das vezes o usuário é "focado" em certo tipo de material, sejam "filmes em cartaz", "24h", "Lost", ou qualquer outra coisa.

Imagino que se um grupo de pessoas se reunir numa rede VPN, da mesma forma que já o fazem para jogar, através do HAMACHI, isso será possível. Se pensarmos que o grande "boom" no uso de P2P ultimamente tem sido em acompanhar os seriados mais famosos "em tempo real" (no meu caso, Lost e 24 horas...), essa seria a solução IDEAL.

Segundo o autor do post acima citado, as velocidades de P2P pularam de 5 kbps para 200 kbps. Isso guarda muita semelhança com nosso caso.

No TUTORIAL encontram-se as referências, para que possam checar diretamente no documento em inglês alguma inconsistência no "como-fazer". Traduzi direto do documento, sem verificar exatamente se as instruções estavam 100% acuradas. Acreditei porque os posts seguintes davam credibilidade ao que o sujeito havia escrito.

Peço que leiam e vejam se há futuro nisto.

Abraço,

C.Alex.