Fibra Ótica  

A conexão via fibra ótica proporciona a maior velocidade e confiabilidade, entre as analisadas neste site. É a tecnologia do futuro, mas infelizmente, tem custo elevado, e a rede atual ainda é pequena.

Existe alguns projetos em andamento nos Estados Unidos envolvendo esta tecnologia. Algumas empresas estão disponibilizando fibra diretamente ao usuário final por preços que estão na faixa dos U$ 2.400,00.  A taxa de transmissão oferecida está na casa dos 100 a 200 Mbps, valor extremamente alto se levarmos em conta que o Americas I (cabo submarino que liga o Brasil aos Estados Unidos) tem capacidade de transmissão de 500 Mbps. 


FTTH (acrônimo de Fiber-to-the-Home) é uma tecnologia de interligação de residências através de fibras ópticas para o fornecimento de serviços de comunicação de dados, TV digital, Radio Digital, acesso à Internet e telefonia convecional. A fibra óptica é levada até as residências, em substituição aos cabos de cobre ou cabos coaxiais (utilizados em televisão a cabo). As residências são conectadas a um ponto de presença da operadora de serviços de telecomunicações.

Há dois projetos básicos para FTTH:

1) Rede óptica passiva PON: é uma rede óptica ponto-multiponto que viabiliza o compartilhamento de uma única fibra óptica entre diversos pontos finais usuários. Não existem elementos ativos entre o equipamento do provedor de acesso OLT e o CPE Customer Premises Equipment instalado junto ao equipamento de aplicação do usuário. Desta forma, esta solução provê uma clara economia nos custos de operação, manutenção e implementação. Também a solução PON pode ser implementada por uma fração dos custos das redes ópticas ponto-a-ponto tradicionais.

Uma rede PON Passive Optical Network consiste de equipamentos OLT - Optical Line Terminal localizados nas bordas dos anéis ópticos das redes de transporte SDH, conectados nos equipamentos ADM, de um lado, e pelo outro lado conectados em vários outros equipamentos ONU - Optical Network Units ou ONT - Optical Network Terminal localizados em condomínios, gabinetes nas calçadas, sites e residências. Então percebemos que está tecnologia é uma solução de acesso de última milha Last-Mile. O sinal óptico é transmitido pelo OLT por uma única fibra. A essa fibra são feitas derivações através do uso de divisores ópticos passivos POS - Passive Optical Splitter para conectá-la às ONU's e ONT's. Cada ONU e ONT transmite e recebe um canal óptico independente e prove para os usuários finaisl alocação dinâmica de banda entre 1Mbit/s e 1Gbit/s, para as aplicações de voz, dados e vídeo.

2)FTTH dedicado: FTTH dedicado significa que uma fibra funciona diretamente de CO a um subscritor home. A fibra dedicada fornece a maioria de largura de faixa desde que entrega toda a largura de faixa de uma única fibra, assim é a maioria de projeto de rede da futuro-prova. Entretanto, o custo de D-FTTH é considerado ainda pela maioria dos portadores como altamente proibitiva, assim até agora não há nenhuma distribuição de D-FTTH na área residential.

Fiber-to-the-Home FTTH é a tecnologia banda larga para o mercado de massa do futuro. O FTTH possibilitará o transporte simultâneo de uma série de serviços, tais como Internet com acesso muito mais rápido, telefonia e televisão, através de uma única fibra óptica. Com o FttH, a rede de acesso será baseada na fibra e capaz de prover velocidades de 10Mb/s, 100Mb/s e até 1Gb/s. Isto criará uma rede de acesso com inúmeras possibilidades. Esta tecnologia suportará um modelo aberto completo pelo qual o consumidor terá total liberdade de escolha pelo seu fornecedor de serviço.
 
PON
Entram em cena as tecnologias PON, ou Passive Optical Networks, redes baseadas em fibras óticas capazes de viabilizar o chamado Fiber To The Home. Uma tacada extremamente agressiva por parte das empresas de telecomunicações Asiáticas e Americanas onde ao invés de tentar dar sobrevida à tecnologia dos telefones, as empresas de telefonia simplesmente optaram por oferecer serviços de telefonia através de fibras óticas que se extendem até a residência do usuário, viabilizando não apenas acesso à Internet em alta velocidade como a TV sobre IP, ou IPTV.

Em teoria PON é praticamente aquilo que as empresas de telefonia precisavam para finalmente serem capazes de concorrer contra o crescimento da oferta de Voice sobre TV a cabo. O sistema oferece uma combinação de capacidade transmissão de dados, capilaridade e tolerância à longas distâncias que promete acelerar o fim das linhas baseadas em cobre ao ser uma das poucas tecnologias efetivamente capaz de oferecer HDTV sobre IP.

Porém, não devemos esquecer, estamos falando do mercado brasileiro, mercado dos telefones pré-pagos, onde as operadoras de telefonia móvel não parecem muito otimistas com a implantação de tecnologias 3G e a receita das operadoras de telefonia fixa e móveis não dá sinais capazes de encher de esperanças o acionistas ansioso. Trata-se de um mercado em desenvolvimento onde os números do Japão, onde até 2005 cerca de 3.8 milhões de usuários já contavam com fibras óticas em suas residências, ou do uso combinado delas e intranets prediais, parecem ficção científica. Estaria o mercado brasileiro ávido por ser atendido por tamanha tecnologia? Tenho minhas dúvidas.
 
Uma opinião pessoal.
Pequenas redes PON podem ser criadas e existe mercado para isso no Brasil.
Em diversas cidades temos BAIRROS e condominios onde se concentra moradores de alto poder aquisitivo e bairros industriais com empresas com grande poder de compra, onde normalmente se concentra empresas de medio e grande porte que podem viabilizar um projeto desse porte, pois as operadoras chegam até esses clientes na maior parte do brasil através de par metalico ou Radio com faixa licensiada, e uma conexao por fibra alem de ser mais confiavel a qualidade é bem melhor.
 
A execução de projetos desse nível podem ser viabilizadas com a oferta de pacotes de telefonia e internet banda larga (ou link dedicado) para essas empresas, embora seja menos lucrativo do que oferecer acesso residencial o acesso dedicado é um filão bom a e ser explorado pois gera demanda, e nos finais de semana e também fora do horario comercial essas empresas funcionam com menos de 20% do quadro de funcionarios (quando funcioname 24 horas) gerando uma ociosidade do link justamente nos horarios de pico dos usuarios residencial, o horario que os sujeitos chegam em casa depois de um dia inteiro de trabalho, e nos finais de semana.
Aliado a oferta de acesso dedicado pode ser ofertado serviços especializados, (como a venda de appliance server com controle e monitoramento do uso da internet) melhorando ainda mais o uso do link pelas empresas gerando cada vez mais banda ociosa no seu link.

Resumindo: Redes em fibra optica visando atender os clientes na ultima milha PODEM ser viáveis em projetos especificos aqui no Brasil.
Contando que o valor / mt da fibra tem caido bastante, novos fabricantes tem aparecido no mercado, embora a demanda esteja aumentando a oferta tem aumentado bastante também, viabilizando cada vez mais a montagem de tais redes em localidades especificas e também com o aumento da oferta de crédito no mercado para investimento de rede de infra-estrutura.
 
PORÉM, como qualquer investimento de risco TODO projeto deve ser montado, estudado e revisado por equipes técnicas e também por pessoas experiêntes e conhecedoras do mercado para anexar o projeto um estudo de viabilidade econômica, pois crédito tem disponível no mercado mas só é possível pegar se os estudos demonstrarem de forma clara, objetiva e real de que o projeto terá retorno financeiro suficiente para se pagar.
 
Devido a pequena quantidade de redes em fibra(metropolitana) existentes no Brasil e com o gargalo das redes já existentes pode-se conseguir financiamento em bancos de investimento internacional, mas a formula é mais complexa e eles exigem muito, e para isso será necessário oferecer garantias reais de que o projeto não irá dar errado e para isso nada mais vale do que pesquisa de mercado, estudo de viabilidade economica, estudo de viabilidade técnica e também um bom projeto.
 
Parece dificil? Mas não é tanto, com a profissionalização da gestão da empresa muitas das exigências podem ser cumpridas.


Texto retirado do Wikipedia (http://pt.wikipedia.org/wiki/FTTH), outros sites relacionados, e complementado com opinião pessoal.

Carlos Roberto Maciel Carneiro
carlos@easysolutions.com.br
Tel.: (11) 6824-6530


Fiber-To-The-Home - Uma opção de investimento em grandes centros e bairros industriais

A melhor solução é aquela que atenderá o seu projeto e a necessidade de seus clientes não impactando negativamente em sua empresa.
 
É o projeto que permitirá em médio a longo prazo o retorno do investimento atendendo a sua base atual de clientes ou atendendo a previsão mínima de clientes que tenha sido apontado em seu plano de negócios.
 
Conforme mensagem que passei mais cedo.
Todo e qualquer investimento dentro de sua empresa você deve montar um plano e levantar todas as possibilidades, seja quanto ao retorno financeiro do investimento desejado, levantamento de custos reais envolvidos no projeto, dentre outros custos que podem vir a surgir, estudo de mercado,....
 
Marque com empresas especializadas em passagem de fibra-optica levante todo o custo de um projeto FTTH, e veja também os custos de passagem de uma rede mista.
Levante os custos reais para que possa ter valores concretos.
Eu recebi uma mala direta no e-mail nessa semana de uma empresa com valores de fibra que variam de 3,90 a 17,60 / mt da fibra, e a variação é o tipo de fibra utilizada, a quantidade de fibras / cabo, se é a-sustentavel se tem proteção contra roedores,.... existe diversos tipos de fibra com valores totalmente diferentes.
 
O ideal é definir a área onde irá atuar com uma planta na mão e definido os pontos de atendimento, onde irá fazer o corte na fibra entre outros detalhes especificos para esse tipo de projeto para definir qual tipo de fibra utilizar a cada milha.
 
Analise todos os prós e os contras.
 
Uma idéia para quem quer investir em FTTH
 
1-) Monte a rede em bairros industriais ou com grande quantidade de empresas (empresas digo aquelas que possuem condições financeiras de estar pagando um link dedicado de no minimo 512kbps, sendo a apuração ideal apartir de 1Mb/s) e isso você vai ver com a análise de receita bruta da empresa, tempo de mercado, quantidade de funcionarios no escritorio e em toda a estrutura da empresa, análise de patrimonio da empresa e quantidade de unidades ou se pertence a algum grupo empresarial ou fundo de investimento, pois são empresas que se preocupam (e exigem) qualidade no serviço.
 
2-) Condominios com moradores de grande poder aquisitivo (alto poder aquisitivo são receitas familiares de no minimo R$20.000,00 medio entre as familias, pois é um publico exigente e que o feijão com arroz das operadoras não irão satisfazer mais o cliente, são os executivos que querem um serviço que tenha internet, que ele possa fazer video conferencia apartir de sua casa, interligar em fibra o acesso da rede da empresa dele com a sua residencia e que de casa possa estar acessando a intranet da empresa além de outros serviços e que para ter essa comodidade não se importará de estar pagando R$500,00 / R$1.000,00 / R$2.000,00 / mes)
 
Esses dois publicos alvos são aquelas pessoas que as operadoras brigam MAS conhecemos a baixa qualidade no serviço ofertado pelas operadoras e você passando confiança e mostrando que o serviço é de qualidade pode convencer o cliente.
 
NÃO É BARATO realmente um projeto desses e também não é facil conquistar esses clientes.
Mas somos empresários ou não?
A pesquisa de mercado e o planejamento que vai dizer se o projeto é viavel ou não.
 
Questões que são muito importantes antes de pensar em montar uma rede dessas.
A sua estrutura de rede interna suportará esse tráfego todo? Caso não suporte pense em investir montando uma rede fiber-lan na sua empresa.
 
O seu link poderá atender o aumento da demanda? Ou existe espaço ou um pré-contrato com alguma empresa para atender o aumento da demanda do seu link, e esse fornecedor possui disponibilidade para estar atendendo um aumento de link de forma brusca (pulando por exemplo de 2 para 10 ou 20 Mb ou de 10 para 80Mb) e existe margem de expansão para mais de 155Mbs de link por parte dos seus fornecedores.
Tudo isso tem que ser levantado e levado em consideração no seu plano de negocios.
 
Se o seu foco é o mercado residencial tem que levantar qual é a necessidade dos seus clientes, se vão querer apenas acesso a internet ou outros serviços adicionais, e se o tráfego gerado nesses serviços outra tecnologia mais em conta suportará, suportando pode se tornar viável a instalação de outros materiais e a montagem de outro escopo de rede.

 
Para você começar a ver qual das tecnologias utilizar:
 
1-) Qual serviço irá ofertar? (Acesso a Internet, Telefonia, IPTV / TV Por assinatura, Outros serviços agregados que necessitem de uma rede de dados) ?
 
2-) Quem é o seu publico alvo? (Domestico, comercial, industrial, corporativo)
 
3-) Possui infra-estrutura interna para atender a demanda necessária que faria o seu projeto se pagar? (Todo projeto tem um custo, vamos contar que seu projeto custe 1 milhão, para pagar o seu projeto em 24 a 36 meses vamos supor que você precisaria de uma demanda de 155Mbps, sua rede interna suporta esse tráfego? Você possui estrutura de pessoal para atender essa demanda? Equipe de venda, logistica, administração, financeira e suporte técnico? Você tem condições de bater a meta de venda de 4,3 a 6,5Mbs/mes para chegar na demanda estimada no período de 24 a 36 meses?)
 
Terá que ser realizada toda uma análise (real) do projeto.
 
Vamos lá, falando no CASO e REALIDADE Brasileira.
 
Se o seu planejamento é de retorno a curto e médio prazo.
 
Nesse caso uma rede cabeada com UTP atende a sua necessidade (se o seu foco for atender o mercado residencial e comercial), temos case na lista de empresas que estão tendo sucesso em seus projetos utilizando esse tipo de infra-estrutura que não é caro e conhecemos demais o seu funcionamento.
 
Porém se o seu planejamento é de médio e longo prazo
Vá para um projeto de rede em fibra.
A internet HOJE está limitada a conexão de até 20Mbs em curtas distâncias das centrais e para vender serviço de TV + INTERNET + TELEFONE (Triple Play) essa rede irá atender perfeitamente e pode ter certeza que não sentirá peso da concorrência com as teles nem com as empresas de tv a cabo por um bom tempo (em cidades onde as tv a cabo não possuam rede em fibra), mas isso tem uma detalhe MUITO importante.
 
O projeto de TV via internet está emperrado.
Sabe o que pode ser vendido para vídeo na Internet?
O aluguel de vídeo, video sob demanda.
Não pode ter geração de sinal, passar sinal de tv como se fosse tv por assinatura, é cadeia na certa. E já achei diversos projetos para mudar a forma como as empresas de telefonia atuam e até hoje não consegui achar um projeto que muda isso. Quer dizer, tem uns poucos lá que não estão nem andando direito.
Podemos ver isso na perda recente da Telemar e estão mexendo os bedelhos na Telefonica agora.
O poder de influencia das empresas de TV aberta são muito grande no Brasil.
E bem ou mal a Globo e concorrentes coloca o presidente que quiser nesse pais, como pode tirar também.
 
E a Globo não quer nem pensar em permitir a Telemar, Telefonica e BrT com seus canais e empresas de Televisão aqui no Brasil.
 
HOJE, por questões regulatorias EU visualizo o mercado de atendimento ao cliente via fibra-optica apenas para clientes de grande e médio porte ou alugando a estrutura para as empresas de telefonia, para atendimento na ultima milha (concorrendo de certa forma com você) ou para as empresas de telefonia celular que utilizam diversas malhas de fibra-optica existentes no Brasil para conectar as suas ERB´s (e isso dá um bom retorno) Pois eles contratam no minimo 4Mb por ERB com contratos de 5 a 10 anos.
 
Existe mais de 10 formas diferentes de se usar, de participar do mercado e isso vária bastante e a tecnologia utilizada para chegar ao cliente varia muito de acordo com o público alvo do seu negócio.
 
Att.
Carlos Roberto M. Carneiro

A Melhor Solução

A melhor solução é aquela que atenderá o seu projeto e a necessidade de seus clientes não impactando negativamente em sua empresa.

É o projeto que permitirá em médio a longo prazo o retorno do investimento atendendo a sua base atual de clientes ou atendendo a previsão mínima de clientes que tenha sido apontado em seu plano de negócios.

Conforme mensagem que passei mais cedo.
Todo e qualquer investimento dentro de sua empresa você deve montar um plano e levantar todas as possibilidades, seja quanto ao retorno financeiro do investimento desejado, levantamento de custos reais envolvidos no projeto, dentre outros custos que podem vir a surgir, estudo de mercado,....

Marque com empresas especializadas em passagem de fibra-optica levante todo o custo de um projeto FTTH, e veja também os custos de passagem de uma rede mista.
Levante os custos reais para que possa ter valores concretos.
Eu recebi uma mala direta no e-mail nessa semana de uma empresa com valores de fibra que variam de 3,90 a 17,60 / mt da fibra, e a variação é o tipo de fibra utilizada, a quantidade de fibras / cabo, se é a-sustentavel se tem proteção contra roedores,.... existe diversos tipos de fibra com valores totalmente diferentes.

O ideal é definir a área onde irá atuar com uma planta na mão e definido os pontos de atendimento, onde irá fazer o corte na fibra entre outros detalhes especificos para esse tipo de projeto para definir qual tipo de fibra utilizar a cada milha.

Analise todos os prós e os contras.

Uma idéia para quem quer investir em FTTH

1-) Monte a rede em bairros industriais ou com grande quantidade de empresas (empresas digo aquelas que possuem condições financeiras de estar pagando um link dedicado de no minimo 512kbps, sendo a apuração ideal apartir de 1Mb/s) e isso você vai ver com a análise de receita bruta da empresa, tempo de mercado, quantidade de funcionarios no escritorio e em toda a estrutura da empresa, análise de patrimonio da empresa e quantidade de unidades ou se pertence a algum grupo empresarial ou fundo de investimento, pois são empresas que se preocupam (e exigem) qualidade no serviço.

2-) Condominios com moradores de grande poder aquisitivo (alto poder aquisitivo são receitas familiares de no minimo R$20.000,00 medio entre as familias, pois é um publico exigente e que o feijão com arroz das operadoras não irão satisfazer mais o cliente, são os executivos que querem um serviço que tenha internet, que ele possa fazer video conferencia apartir de sua casa, interligar em fibra o acesso da rede da empresa dele com a sua residencia e que de casa possa estar acessando a intranet da empresa além de outros serviços e que para ter essa comodidade não se importará de estar pagando R$500,00 / R$1.000,00 / R$2.000,00 / mes)

Esses dois publicos alvos são aquelas pessoas que as operadoras brigam MAS conhecemos a baixa qualidade no serviço ofertado pelas operadoras e você passando confiança e mostrando que o serviço é de qualidade pode convencer o cliente.

NÃO É BARATO realmente um projeto desses e também não é facil conquistar esses clientes.
Mas somos empresários ou não?
A pesquisa de mercado e o planejamento que vai dizer se o projeto é viavel ou não.

Questões que são muito importantes antes de pensar em montar uma rede dessas.
A sua estrutura de rede interna suportará esse tráfego todo? Caso não suporte pense em investir montando uma rede fiber-lan na sua empresa.

O seu link poderá atender o aumento da demanda? Ou existe espaço ou um pré-contrato com alguma empresa para atender o aumento da demanda do seu link, e esse fornecedor possui disponibilidade para estar atendendo um aumento de link de forma brusca (pulando por exemplo de 2 para 10 ou 20 Mb ou de 10 para 80Mb) e existe margem de expansão para mais de 155Mbs de link por parte dos seus fornecedores.
Tudo isso tem que ser levantado e levado em consideração no seu plano de negocios.

Se o seu foco é o mercado residencial tem que levantar qual é a necessidade dos seus clientes, se vão querer apenas acesso a internet ou outros serviços adicionais, e se o tráfego gerado nesses serviços outra tecnologia mais em conta suportará, suportando pode se tornar viável a instalação de outros materiais e a montagem de outro escopo de rede.

Bruno L. F. Cabral