Ethernet
By Luis Augusto Pelisson

Link Original: http://www.dainf.cefetpr.br/~pelisson/redes01b.htm

O padrão Ethernet foi desenvolvido pela Xerox, DEC e Intel em meados de 1972, com uma largura de banda de 1 Mbps, sendo posteriormente padronizado a 10 Mbps pelo IEEE e inicialmente introduzido na topologia em barramento. O método de acesso ao meio físico (MAC) é o protocolo CSMA-CD (Carrier Sense Multiple Access with Collision Detection), que trabalha da seguinte forma:

a) Carrier sense: a estação que precisa transmitir um pacote de informação tem que se assegurar de que não há outros nós ou estações utilizando o meio físico compartilhado antes de iniciar a transmissão.

b) Se o canal estiver livre por um certo período de tempo denominado IFG (Interframe Gap) a estação pode iniciar a transmissão.

c) Se o canal estiver ocupado, ele será monitorado continuamente até ficar livre por um período de tempo mínimo de IFG, então a transmissão é iniciada.

d) Quando duas estações ou mais detectam que o canal esta livre e iniciam a transmissão ao mesmo tempo, ocorre o que chamamos de colisão, que destrói os pacote de dados enviados. 

O MAC Ethernet monitora continuamente o canal durante uma transmissão para detectar essas colisões. Se uma estação identifica uma colisão durante a transmissão, esta é imediatamente interompida e um sinal de congestionamento (JAM) é enviado ao canal para garantir que todas as estações identifiquem a colisão e rejeitem qualquer pacote de dados que possam estar recebendo, para não haver erros.

e)Após um período de espera (backoff), nova tentativa de transmissão é feita pelas estações que precisam transmitir. Um algoritmo de backoff determina um atraso de modo que diferentes estações tenham que esperar tempos diferentes antes que nova tentativa de transmissão seja feita.

f) Todo processo recomeça do início.

Os meios físicos utilizados no padrão Ethernet são:

A Ethernet usa frames (ou pacotes de dados também conhecidos como payload) para transmitir informações os quais são de tamanho variável em função do payload ou campo de dados que vai ser transmitido.

8 bytes 6 bytes 6 bytes 2 bytes 30 bytes 0 a 1200 bytes 4 bytes
Preâmbulo Endereço
destino
Endereço
fonte
Tamanho do
campo de dados
Cabeçalho
do protocolo
Dados e PAD Verificação
de frame

O preâmbulo é enviado para o sincronismo entre receptor e transmissor e inclui um byte denominado SFD (Start of Frame Delimiter) para indicar que o frame de MAC está prestes a iniciar. Cada nó tem um endereço único. 

Os primeiros 3 bytes de endereço são chamados de Bloco ID e identificam o fabricante do equipamento, determinado pelo IEEE. Por exemplo, a Intel é identificada pelo endereço hexadecimal 00AA00. 

Os outros 3 bytes são chamados de Device ID e determinados por cada fabricantes. 

São sempre únicos. 

O cabeçalho de protocolo é na verdade parte do campo de dados que contém informações de nível mais alto (camada 4) embutidas no prórpio campo de dados. 

Por exemplo, os cabeçalhos dos protocolos IPX e TCP/IP tem um comprimento de 30 bytes. Se o comprimento do campo de dados válidos for menor que um comprimento mínimo pré-determinado, o MAC adicionará um bloco variável de preenchimento (PAD) para manter um tamanho de frame total mínimo de 64 bytes. 

Se o campo de dados for maior que 1200 bytes, a camada superio de rede (camada 3) dividirá o payload em diversos frames. 

Finalmente, uma sequência de verificação de frame (frame checking) é realizada utilizando-se o método de CRC para assegurar a confiabilidade da tranmissão.