Crosstalk

O que é CROSSTALK?

Quando um sinal elétrico trafega num condutor, gera ao redor deste, um campo elétrico. Crosstalk ou diafonia é a medida da interferência elétrica gerada em um par pelo sinal que está trafegando num par adjacente dentro do mesmo cabo. A menor interferência acarreta um melhor desempenho do crosstalk ou diafonia (mais dBs de isolamento). A baixa interferência entre pares é crítica para a confiabilidade das aplicações das categorias 3, 4 e 5 para cabos UTP de 4 pares exigem uma avaliação do crosstalk, ou diafonia, com o método par a par (NEXT). As especificações da norma ANSI TIA/EIA 568A para cabos de 25 pares exigem uma avaliação do crosstalk através do método da somatória das potências (Power Sum).

Qual a diferença entre estes dois métodos e por que cabos de 4 e de 25 pares não são testados da mesma maneira?

Método Par – a – Par (NEXT)
No método de avaliação do crosstalk par – a – par, ele é medido para cada combinação de pares em um cabo. Em um cabo de 4 pares, o crosstalk é medido para um total de seis combinações. O "pior crosstalk par –a – par" corresponde ao pior valor dos seis. Isto é ilustrado pela fórmula abaixo.

A fórmula para determinar a pior diafonia par – a –par é:

Pior par-a-par (NEXT) = pior dentre PR1-2, PR1-3, PR1-4, PR2-3, PR2-4, PR3-4

Um cabo de 4 pares, normalmente atende apenas a um usuário. O método par-a-par foi escolhido pra cabos de 4 pares em aplicações LAN porque, normalmente, apenas dois pares são usados para a transmissão de dados pelas aplicações atuais. Nem todos os pares ativos, ou utilizados, são os mesmos para todas as aplicações como: 10 BASE-T, Token Ring e TP-PMD (FDDI sobre cobre). Apenas a combinação de um par é relevante para qualquer uma dessas aplicações isoladas e a combinação crítica altera-se quando a aplicação é modificada.

cross02.gif (17796 bytes)

Método de soma de potências (Power Sum)
No método de teste da Soma das Potências, ou Power Sum, o crosstalk é medido como se todos os pares do cabo estivessem ativos ao mesmo tempo. Em cabos com número maior de pares, vários usuários são atendidos pelo mesmo cabo. Por exemplo: ao colocarmos doze sinais token-ring de dois pares em um cabo de 25 pares, não seria adequado especificar a diafonia pelo método par-a-par (NEXT). Apesar de que as diafonias para cada combinação de pares poderiam satisfazer as especificações da categoria 5 pelo método par-a-par (NEXT), o acoplamento TOTAL de um par com todos os outros poderia ser excessivo e acarretaria a perda da integridade dos dados. Alterando-se o método de avaliação para o método de Soma de Potências, com todos os pares em uso, garante-se que o desempenho não será comprometido. Um exemplo é demonstrado pela fórmula abaixo:

A fórmula usada para calcular a Soma de Potências (Power Sum) para o par 1 é:

cross01.gif (31947 bytes)

Valor da Soma de Potência (Power Sum)
O valor de Soma de Potências, Power Sum, é igual a pior diafonia PS do par 1 ao par 25. O Power Sum de um cabo de 25 pares, normalmente garante um desempenho de 3 a 6 dB melhor do que seu desempenho de diafonia par-a-par. 

Desde que a diferença entre os desempenhos de diafonia das categorias 4 e 5 seja de 6 dB, um cabo de 25 pares que atinge "raspando" a categoria 5 em uma base par-a-par (NEXT) falhará no Power Sum para categoria 5 e satisfará muito pouco as especificações da categoria 4. 

A norma ANSI TIA/EIA 568A, o padrão NEMA e o programa de verificação de desempenho da UL requerem que cabos de categorias 3, 4 e 5 UTP com mais de 4 pares SEJAM testados com o método Power Sum. Certifique-se que seus cabos UTP atendem ao Power Sum!

Fonte: Lucent Technologies

Link Original: http://www.policom.com.br/tutoriais/crosstalk.htm