Cuidado com internet banda larga
SEU DINHEIRO - Jornal da Tarde, Suplemento Seu Dinheiro, 01/03/2005

Original (formato PDF)

Esse tipo de conexão com a web é mais rápida e deixa o telefone fixo livre, mas esbarra nas decisões inconvenientes de algumas operadoras de cobrar caro, exigir a compra casada de um provedor e não dar assistência. Pesquisar ainda é a melhor arma.

A conexão com a internet, via linha telefônica ou por banda larga, ainda provoca longas discussões. Pois, num sistema ou noutro, o usuário sempre fica com uma pulga atrás da orelha.

Daí um grupo de inconformados com o tratamento nem sempre satisfatório, dispensado por provedores e serviços de conexão aos usuários, ter criado a Associação Brasileira dos Usuários de Acesso Rápido (Abusar). 

“A nossa meta é que os provedores forneçam acesso com qualidade e respeito ao consumidor”, afirma o presidente da Abusar, Horácio Belfort. A própria entidade está para lançar um novo serviço de acesso via rádio, a Ragio. 

“A idéia é fazer uma rede de várias empresas e provedores para garantir um atendimento 100 % no setor. “Queremos assegurar preços, velocidade e serviços adicionais exclusivos com qualidade e respeito ao consumidor.” 

Belfort chama a atenção de quem compra modems USB. “Eles são os mais baratinhos, mas se trata de uma economia porca, porque tornam o computador mais lento”, avisa. Sugere modems Adsl ethernet. “Custam mais, mas têm tudo que precisam dentro deles mesmos, não interferindo nos recursos do computador e ainda permitem o uso compartilhado da conexão. Ou seja, é como se fossem um benjamin, permitindo que o modem seja usado por mais de uma pessoa.” 

Outra sugestão de Belfort: comprar modems usados, por bom preço, no Mercado Livre. “Para sua própria segurança, antes de contratar um acesso ou provedor de banda larga, solicite e imprima o contrato de fornecimento, preços normais e promoções. Belfort defende a contratação de um provedor pequeno. “Está provado que quanto maior o provedor, pior ele trata o usuário, especialmente os vinculados às operadoras.” Segundo ele, o consumidor só deve comprar um modem depois de seu acesso instalado. “Na verdade, aconselho a pessoa a alugar por um certo tempo para conhecer a qualidade do serviço.” 

Levantamento feito pela Abusar, no ano passado, destaca os seguintes pontos como de maior conflito entre usuários e serviços de banda larga: obrigatoriedade de provedor, limitação de transferência, bloqueio de portas, IP dinâmico, mudança de endereço paga, obrigatoriedade de aluguel do modem e escolha do modem. 

De acordo com a Abusar, o interessado em serviço de banda larga deve dar preferência ao AJato da TVA, depois ao Virtua da Net e só, então, ao Speedy da Telefonica. Essa, para atrair novos clientes está com nova promoção. Para marcar a volta às aulas, oferece um contrato de três meses do Speed 350, que baixa de R$ 79,90 para os R$ 49,90 cobrados pelo Speed Light 128.